top of page

Ahhh… os prazeres da vida.


Quem não gosta de curtir um fim de semana com amigos ou familiares?


Ir à praia, ao parque ou à cachoeira. Fazer um churrasco, uma rodada de pizza com amigos. Viajar, surfar, jogar futebol ou passear no shopping. Estes são alguns dos prazeres da vida.


Algum problema com eles? À primeira vista, NÃO! Eu, particularmente, amo fazer tudo isso (com exceção do passeio no shopping... rs)! O problema está quando estes prazeres se tornam o sentido da vida. Quando a vida gira em torno deles.


Quando chegamos a este ponto, significa que estamos “viciados" neste tipo de prazer. Faça uma auto-análise. Como você ficaria se não usufruísse de um destes prazeres por um mês inteiro? Se esta possibilidade gera um grave desconforto em você, talvez este prazer seja um “deus" em sua vida. Este ídolo pode estar controlando você. Ele controla seu tempo, energia, atenção e dinheiro. Ou seja, você pode ser um ESCRAVO.


Como ninguém pode servir a dois senhores (Mt 6.24), se você serve a algum destes deuses, você já não é servo de Cristo.


Como Jesus conta na parábola do semeador, estas pessoas são como uma terra cheia de espinhos. Quando a palavra de Deus é semeada, ela até cresce em seu coração, mas logo é sufocada pelos prazeres da vida (Lc 8.14). As pessoas até dão ouvidos à Palavra, gostam de ir aos cultos, mas os frutos não amadurecem.


Querido leitor, não há prazer maior do que estar na presença de Deus. Mas, facilmente, as pessoas trocam pelos prazeres momentâneos…


Ahhhh o desejo pela eternidade… Ahhhh o desejo de estar frente a frente com Jesus…


Que este seja seu maior prazer!

104 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo