top of page

Inspirando uma Transformação Abundante no Trabalho

Em um mundo onde as demandas profissionais podem parecer esmagadoras, a Palavra de Deus nos oferece orientação e inspiração para encararmos nossos dias com um propósito maior do que simplesmente cumprir nossas tarefas diárias.


Hoje, nosso foco será uma visão cristã do trabalho, entendendo que a missão se estende para além do campo missionário tradicional. Deus nos chama para sermos pessoas relevantes em nossos ambientes de trabalho, e devemos reconhecer a sacralidade de nossas profissões.


  1. A coragem de Paulo

No capítulo 17 de Atos dos Apóstolos, encontramos o apóstolo Paulo em Atenas, uma cidade repleta de idolatria. Seu espírito se revoltava diante desse cenário, mas em vez de simplesmente observar, ele agiu. Paulo falava na sinagoga, na praça e enfrentava o diálogo com filósofos epicureus e estoicos.

Ao ser levado ao Areópago, Paulo não perdeu a oportunidade de proclamar o Evangelho. Ele observou um altar dedicado ao "Deus Desconhecido" e usou isso como ponto de partida para apresentar o Deus verdadeiro. Sua mensagem enfatizou a soberania divina, a inutilidade de ídolos e a necessidade de arrependimento.


Ao abordar os atenienses, Paulo evidenciou que Deus não habita em templos feitos por mãos humanas, mas é o Criador de todas as coisas. Ele destacou a busca por Deus e a proximidade divina, citando até mesmo poetas locais para ressaltar a verdade de suas palavras.


Quando Paulo mencionou a ressurreição, houve diferentes reações. Alguns zombaram, outros adiaram a decisão, mas alguns creram, incluindo Dionísio, o areopagita, e Dâmaris.


Paulo estava sensível ao Espirito Santos de Deus, por isso seus olhos, sentidos e ação estava conectados à Deus.


O Que Paulo Viu (Atos 17:16): Paulo não encarou Atenas como um turista, mas como um pregador atento. Ele viu além da beleza da cidade, percebendo a idolatria que a dominava. Essa percepção o moveu a agir.


O Que Paulo Sentiu (Atos 17:16): O espírito de Paulo se revoltava diante da idolatria. Ele reconheceu a presença de idolatria e morte espiritual, algo que muitas vezes também encontramos em nossos locais de trabalho.


O Que Paulo Fez (Atos 17:17-18): Paulo não ficou passivo diante da situação. Ele falou na sinagoga, na praça, e dialogou com filósofos. Ao ser levado ao Areópago, aproveitou a oportunidade para apresentar o Evangelho de forma relevante aos ouvintes.


  1. Um Coração Missional

É crucial superar a visão dicotômica que a igreja muitas vezes perpetua, distinguindo erroneamente o trabalho profissional como secular e a missão como sagrada. Seja atuando em um consultório, em um escritório ou em qualquer outra profissão, nossa dedicação ao trabalho também pode ser uma forma de cumprir a missão de Deus.


Devemos compreender que, aos olhos de Deus, não há distinção de honra entre uma profissão e outra, seja alguém atuando como cientista ou desempenhando o papel de gari. Todos têm um papel fundamental no plano divino, e cada um de nós pode desempenhar um papel estratégico no avanço do Reino de Deus no local de trabalho.


Como igreja, é imperativo reconhecer o impacto estratégico do ministério no ambiente profissional. Devemos mobilizar, preparar e enviar os membros da igreja como missionários em seus locais de trabalho. A missão vai além das paredes da igreja; ela se estende para os escritórios, fábricas, escolas e demais ambientes profissionais.


Deus nos chama a dedicar nossas vidas em nosso trabalho, levando o nome de Jesus e não buscando glorificar nosso próprio nome. Com essa perspectiva, vamos explorar, de maneira bíblica e prática, a vida de um fabricante de tendas que soube utilizar suas habilidades para o avanço do Reino de Deus.

23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page