top of page

Deus é por nós ou por Ele mesmo?



Dize portanto à casa de Israel: Assim diz o Senhor DEUS: Não é por respeito a vós que eu faço isto, ó casa de Israel, mas pelo meu santo nome, que profanastes entre as nações para onde fostes.

E eu santificarei o meu grande nome, que foi profanado entre os gentios, o qual profanastes no meio deles; e os gentios saberão que eu sou o SENHOR, diz o Senhor DEUS, quando eu for santificado aos seus olhos.



Deus prometeu restaurar Israel, o povo havia profanado o nome de Deus em todos os lugares onde habitavam. A pergunta que fica é: Deus restaurou Israel por Amor ao Seu próprio Nome? Isso não faz de Deus um ser preocupado com sua própria reputação? É sobre isso que vamos discorrer a partir de agora.


A força motivadora de Deus é ser honrado e glorificado, da criação à consumação, o propósito contínuo de Deus é ter Seu nome exaltado. Dificilmente alguém diz: “Deus ama mais a si mesmo que a você”. Mas, isto é uma verdade absoluta e não pode ser negligenciada, pois encontra subsídios na própria natureza de Deus. 1 João 4;16.


Deus é único como o mais glorioso de todos os seres, totalmente auto-suficiente, Ele deve ser por Si mesmo se Ele é por nós. Ainda não ficou claro? Vamos lá! Se Deus abandonasse o objetivo de se auto-exaltar, nós o perderíamos. Isto não significa que Deus tenha necessidades, ou seja, não existe qualquer pressuposto para Ele subsistir, pois, Deus é completo em Si mesmo - Ele é. Seu empenho em trazer glória para Si mesmo é o mesmo empenho em trazer glória para o seu povo. Trata-se de um único esforço.


Existe apenas uma coisa que Deus poderia nos oferecer para expressar todo Seu amor: “A Si mesmo”. Desta forma, Deus precisa amar a Si mesmo, para nos amar. Seu amor é completo em Si para nossa contemplação. Se você não se ama, como vai amar o próximo?


Por amor de Si mesmo, Deus entregou Seu Filho. Ef 2:18- Cristo veio para que pudéssemos ter acesso ao Pai.


A moeda de um lado retrata o julgamento vingador purificador, do outro, misericórdia-amor, ambos trabalham juntos para cumprir os mesmos propósitos. Neste texto, Ezequiel não apresenta o lado misericórdia-amor e, sim, preocupa-se em restabelecer a reputação de Deus ao povo.

É por causa de Sua misericórdia que não fomos aniquilados. O nome de Deus é vingado porque a punição golpeia o pecado, mas o exercício do outro lado da moeda mantém o pacto com Seu povo intacto.


Se fizermos um exercício básico de reflexão, perceberemos o quanto Deus tem comunicado sua misericórdia-amor conosco. Entretanto, nossas faltas cometidas mediante nossa responsabilidade, ou melhor, irresponsabilidade, tem feito sentirmos os efeitos da ira santa de Deus.




52 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page